domingo, 20 de março de 2011

Parem com a histeria!

Essa foi a semana mais conturbada para todos que moram aqui no Japão.
Os tremores ainda continuam, porém, com menos intensidade, e o problema da Usina de Fukushima persiste em deixar muitos apavorados. Falta de informação.
Já disse aqui sobre o exagero da mídia mundial em relação ao que está acontecendo, mas muitos ainda não entenderam.
A repercussão de noticiário da tv brasileira transmitida lá e aqui tem sido o pior meio de esclarecimento, mostrando somente imagens catastróficas, com narrações exageradas, e informações a desejar. Porém, com a rapidez do Twitter, digo que muita coisa é esclarecida EM TEMPO REAL!
Ontem, no Facebook, postaram esse vídeo que achei de muita importancia, para mostrar que não é somente nós, da turma de brasileiros que pesquisam, que está o apelo para que a mídia PARE com o histerismo.
Daniel Kahl é americano, mora no Japão e aparece na tv japonesa em vários tipos de programas de variedades, atualmente vejo-o mais na NHK. Muito conhecido, domina a língua japonesa, e tem um certo carisma. Vocês poderão ver os comentários deixado no vídeo dele que há japoneses deixando seu recado. Inclusive, um comentário que diz: Daniel-san, você fala inglês! rs.





Está em ingles, mas acho que um pouco dá para entender o apelo: PAREM COM A HISTERIA!




Recebi da @SilviaSatie no Twitter essa matéria e achei interessante postar para que todos saibam a verdade.
Ouvi muito dizerem que o governo está escondendo informações.
De uma certa forma, tento esclarecer, mas como diz um grande pensador, faça ou não faça você está certo! Então...acredite ou não acredite, você está certo, pois está de acordo com sua consciencia, naquilo que acredita!
Porém, a gota d água foi o e-mail que meu marido recebeu da minha cunhada dizendo a mesma coisa!
A íntegra da reportagem você encontra aqui. Transcrevo alguns trechos apenas para se ter idéia da entrevista.

               ¨Pergunta: Qual é a sua análise do problema registrado na usina nuclear de Fukushima, no Japão?


               Appoloni – Estou vendo um catastrofismo exacerbado no noticiário de algo que é um evento triste, um evento sério, mas não é para fazer o mundo parar por causa disso. Primeiro que o mundo não para. Segundo, o mundo é movido a energia elétrica. As pessoas que exigem que seus governos parem programas nucleares são as mesmas que chegam em casa e vão usar o microondas para fazer comida, vão usar energia elétrica para aquecer a casa e assim por diante. E não vão admitir não ter essa energia para usar no seu dia a dia. Principalmente se for no inverno e se for num país do Primeiro Mundo, onde aconteceu esse evento.¨


              ¨...Dizer, no Brasil, "vamos construir mais hidrelétricas", é não ter olhado dados como o do real potencial hidrelétrico que existe para explorar, é não medir a razão custo-benefício de inundar terras férteis para fazer isso e outros tantos problemas. Além do fato de que a malha energética não pode ser monolítica, não pode ter só uma fonte, porque, num período de estiagem, teríamos problemas sérios.¨


              ¨Pergunta: Voltando ao acidente atual, existe, no noticiário, o medo de uma repetição de Chernobyl, onde houve milhares de vítimas e um grave vazamento de radiação nuclear que se espalhou pela atmosfera.


              Resposta: É o catastrofismo. É claro que estamos diante de um acidente grave, mas ele é decorrente de um terremoto de escala 9. Comparar isso com Chernobyl é burrice. O acidente de Chernobyl foi provocado por falha humana num reator antiqüíssimo que, 10 anos antes, a comunidade internacional e a Agência Internacional de Energia Atômica já avisavam que tinham que ter sido desligados, porque a regriferação deles era a carbono. Mas como estávamos ainda em plena época da ditadura comunista na União Soviética, os organismos internacionais não foram ouvidos lá. Precisou acontecer o acidente.¨


              ¨...a diferença para 9 é muito grande, porque a escala é logarítmica. Nove não é 1 mais 8. Nove significa de 10 vezes mais que 8. São ordens de grandeza muito diferentes.¨


Bom, espero que vocês leiam a reportagem na íntegra, pois vai esclarecer MUITO a respeito DE QUEM está escondendo informações... Vejam oque ele diz sobre a Folha de S.Paulo.

Qualquer decisão que você tomar, estará certo!
Eu tomei a minha!

3 comentários:

  1. perfeito esse post! vou divulgar no face tb! tvs já ganharam mto dinheiro com a desgraça, a audiência já subiu o suficiente. agora é hora deles pararem.

    ResponderExcluir
  2. Eli,
    há dias estamos utilizando mais o nosso tempo divulgando notícias sérias e acalmando os nossos familiares do que qualquer outra coisa, não é mesmo?!
    Dá trabalho ir contra a mídia sensacionalista, a abrangência deles é bem maior e pega aquela galera teimosa que tem apenas uma fonte como referência!
    Mas acho que o mais importante é estarmos atentos as boas notícias mesmo, já que não conseguiremos mudar tudo de ruim que já aconteceu!
    Estamos trabalhando por dias melhores, não só para com os nossos, mas para que a paz e tranquilidade do Japão volte a reinar!
    Fico feliz por ter vcs sempre por perto, agradeço de coração todo o esclarecimento e ajuda para com o entendimento das notícias e palavras de motivação!
    Grande beijo!
    ^^

    ResponderExcluir
  3. Realmente o pânico disseminado pela mídia é grande e a verdade é que este sensacionalismo é o que eles utilizam para vender mais. É difícil encontrar atualmente um veículo que informe o que realmente está acontecendo, sem criar pânico.

    Posso afirmar que as fontes mais confiáveis são os blogs e paginas pessoais no Fabebook/Twitter do pessoal que mora no Japão (como o Alexandre que ajudou bastante desde o início).

    ResponderExcluir

Fico feliz em compartilhar meus pensamentos com vocês.
Obrigada por deixar seu comentário!