quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Pensando por esse lado...

No caminho para casa, pensando com meus botões, veio na cabeça uma frase: #Perdi $$$$ por isso, por aquilo#. Fala-se muito quando algo não deu certo (um bico aqui, um negocinho ali) e o dinheiro não entrou. Numa dessas, um amigo disse: Você não perdeu porque você não tinha, você DEIXOU de ganhar! É diferente!
Realmente, pensando desse lado...rs.

Em se tratando de perder, você tem que ter esse algo para perder (se quiser perder).
É a teoria do copo meio cheio, meio vazio.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Você sabe o que é Distimia?


Tempos modernos, doenças novas?
Há doenças que sempre existiram e, diga-se de passagem, sobrevivemos.
E hoje existem novos remédios e técnicas.
Não conhecia nem a palavra, muito menos a doença. Ouvi na rádio e achei que seria interessante colocar, pois pode ser confundida com outra doença.


Conforme o Wikipédia:

O paciente com distimia apresenta baixa ou nenhuma auto-estima; sente-se desmotivado; possui uma constante falta de esperança e sentimento de negatividade; desinteresse ou perda do prazer pela maioria das suas atividades, ou perde totalmente o interesse em todas elas (dificuldade em aproveitar o lado bom da vida)[9]; tem insônia ou dorme excessivamente; apresenta perda de apetite ou alimentação exagerada; isolamento, poucos amigos e vida social limitada;[10] sentimento de rejeição pelos outros; sentimento de falta de capacidade;[11] irritabilidade; e/ou descontentamento. O paciente também pode apresentar pensamentos suicidas[8], tendência para consumir drogas, álcool, e tabaco, aumentando a freqüência e a quantidade consumida destas substâncias se já as utilizar;[carece de fontes?] há ainda chances de sonhar com a causa da depressão repetidamente.[carece de fontes?]

Vale ressaltar que apesar de o paciente sentir todos ou alguns destes sintomas, a distimia não impede que ele continue vivendo sua vida normalmente (ou seja, ir ao emprego, a faculdade, etc...), porém, percebe-se que pessoas distimicas reclamam demais[12], tem um estilo de pensamento negativista, tendência ao pessimismo, sensação de que nada pode ajudar e possuem relutância em fazer alguma coisa para mudar certas realidades indesejadas.

A distimia manifesta-se na maioria das vezes em jovens abaixo dos 25 anos, em sua maioria solteiros. Sua incidência é maior nas mulheres.[13]

A distimia pode ser confundido com o transtorno de personalidade dependente e com outros transtornos de humor pela semelhança dos sintomas. Segundo Spanemberg, cerca de 50% dos pacientes não serão reconhecidos e cerca de 77% vai apresentar comorbidades.(Wikipédia)

A distimia é diferente da depressão.
Sabendo dos sintomas, é claro que sozinho não sara, mas já é um passo para saber o que acontece consigo e procurar ajuda.

Caso queira mais informações, consulte um psicólogo.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Pensando

Antes mesmo de sua morte, eu já havia separado esse vídeo para um post.




Antes da morte de Steve Jobs, esse vídeo começou a rodar no facebook, e, mesmo sendo compartilhado por milhares, achei que seria um ótimo exemplo para o post.

O que me chamou a atenção foi saber que, mesmo ele não tendo um diploma universitário, ele não deixou de ser um gênio.

Fico mais feliz ao ver que muitas pessoas fantásticas e geniais que fizeram a história da humanidade foram especiais não porque frequentaram uma faculdade. Foram especiais para o mundo por serem geniais! E alguns até foram taxados de anormais... Eles simplesmente pesquisaram, fizeram aquilo que acreditavam.

Isso alivia um pouco o meu ressentimento de não ter ido para uma faculdade, até mesmo de não saber ingles...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Valores


A insatisfação faz parte do crescimento humano. E é nessa hora que devemos parar para repensar no que foi feito até agora e pensar no que pode ser feito daqui para frente.
O que realmente importa para você?
O que você quer?
O que você aprendeu até agora?
O que será daqui para frente?
Nessas horas, saia do quadrado!
Todo dia a mesma coisa, as mesmas conversas, as mesmas pessoas, os mesmos lugares nem sempre levam a algum lugar.
Proponha à si mesmo a aprender algo diferente em um certo período. A cada 6 meses, a cada mes, a cada semana.
Vá à lugares diferentes, onde nunca tenha ido. Saia com pessoas que você nunca saiu. Faça coisas que você ainda não fez.
Até mesmo uma simples dona-de-casa precisa ir a um mercado diferente para conhecer produtos que não há no mercado que sempre vai.
Com novas experiencias, novas oportunidades, novas idéias, novos laços se formarão.
O pensamento não pára.
O cérebro não descansa.
O coração ainda bate!
É tempo de rever valores!
Buscar a felicidade não depende dos outros, mas do que você se dá. Por isso, dê-se ao privilégio de ser aquilo que você sonha.