domingo, 24 de abril de 2011

Nostalgia versão J-Pop

Hoje, fuçando o youtube, encontrei uns vídeos nostálgicos.
Dessa vez, músicas japonesas.
Na época, ainda no Brasil, minha mãe alugava uns vídeos da locadora japonesa de programas gravadas da tv japonesa.
Oque mais gostava era do programa Kouhaku Utagasen, que passa sempre no dia 31 de Dezembro com os destaques do ano, dividas em dois times, o branco e o vermelho. Uma competição entre cantores homens e mulheres.
E era através desse programa que conhecia os cantores japoneses.
Admirava a super produção nos cenários e coreografia, diferente dos programas que assistia na tv brasileira.

Esse primeiro vídeo é do ano de 1987.
Shounentai



Muitos deles ainda vivem no meio artísticos.

Mais um vídeo, não está disponível para o blog, mas poderá ver aqui.

Kondo Masahiko. Um dos meus ídolos.
Nesse programa, que premia os mais vendidos do ano, Kondo Masahiko chora. A princípio, imagina-se que seja devido à emoção da premiação, mas, no ano passado, vendo um programa de variedades onde ele era o convidado, mostrou a verdadeira história desse período. A mãe de Masahiko, uma verdadeira incentivadora do sonho dele, havia falecido há pouco tempo. Masahiko teve um sucesso tão grande, que, alguém de má fé, roubou os ossos do túmulo de sua mãe, fazendo chantagem para que ele desistisse de participar dessa premiação. Quando os produtores souberam, mesmo sabendo que ele poderia desistir, não hesitaram em contar-lhe, mesmo estando próximo ao dia da premiação.
Foi um momento de grande decisão para um jovem que ascendia ao sucesso: desistir da premiação e reaver os ossos de sua mãe querida, ou agarrar ao sonho onde sua mãe deu todo o apoio, que também era o sonho de sua mãe.
Imagine oque ele não tenha passado! Sim, ele escolheu participar! E, nesse breve discurso, ele diz que não imaginava que iria ganhar e não havia preparado nada para discursar. Pede desculpas em falar sobre coisas particulares e fala sobre a morte de sua mãe no ano anterior, e que nesse ano, mesmo com a tristeza, a todo custo se esforçou para seguir em frente. E que sua mãe estaria ali, junto, naquele momento, chorando também.

Quem imaginaria que por trás dessas lágrimas que deveriam ser de alegria, estaria uma história tão triste por trás? Afinal, com essa premiação, os ossos de sua mãe não voltariam...
E até esse programa que vi contando no ano passado, ainda não tinham voltado.

Após vir para o Japão, há uns 10 anos atrás outro grande hit de Matt (seu apelido), onde foi tema de novela.



Aqui, o comentário dele sobre estar entre a corrida e a música. Aliás, foi uma surpresa para mim saber que ele está nas pistas, descobri no blog do Rogério Lima num post sobre Festival Motor Sport 2010 em Odaiba .



Nakamori Akina também me trás boas lembranças!
Apesar de alguns problemas durante sua vida, incluindo a tentativa de suicído pela separação com Kondo Masahiko, ainda deixa boas recordações pelo seu estilo.

E por ai vai, os ídolos da juventude. Da minha juventude versão J-Pop!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Pré-Conceito

Engraçado como certas situações criam climas diversos, até mesmo enganosos.

Essa semana encontrei uma amiga, e, conversa vai conversa vem, ela relatou um caso que achei interessante postar.

Uma pessoa conhecida ficou indignada quando uma outra virou-lhe as costas após ter dirigido a palavra.
Ela não se conformou com isso, logo dizendo: Nossa, como tem gente mal-educada nesse mundo!

No dia não percebi. Só um clima meio estranho.
A que ficou indignada, começou a falar com a pessoa que estava sentada à sua frente de como as pessoas são preconceituosas!
Falava e não se conformava. Ficou bem chateada...óbvio né?

Mas, conheço as duas.
A personagem A, que ficou indignada com o preconceito,  é negra.
A personagem B, que virou as costas, não demonstrou nada que pudesse me chamar a atenção. Mesmo por que no dia nem percebi.

Como as duas já haviam se conhecido em uma reunião informal, nada como bater um papo descontraído. Normal.
Não, nem tão normal assim!

Eu tiro por mim. Conheço muitas pessoas há tempos! Mas algumas, somente agora, depois de 2 anos mais ou menos, é que tenho uma amizade a ponto de rir junto, comentar algo, beber junto o mesmo vinho, sentar na mesma mesa, chamar para ir em casa, para sair, para acampar, fofocar, combinar programas, olhar nos olhos sem nada dizer e saber oque está pensando.
Ou seja, não se conquista alguém em um ou dois encontros.(exceto certos namoros que já dão tudo oque tem).
O tempo vai mostrando quem você é.
O tempo vai mostrando quem ele ou ela é.
Afinidades existem. E isso aproxima as pessoas. Ou distancia.

Nem mesmo o carro mais caro, a roupa mais bonita, o perfume mais cheiroso conquista amigos se a personalidade da pessoa não entra em sintonia com a sua.

A personagem A disse que sofreu preconceito.


Conhecendo-a, digo que não foi esse o ponto!
Ela faz tudo certinho, faz de tudo para agradar as pessoas, faz de tudo para ajudar as pessoas e diz que só leva patada...e fala sempre o quanto é boa para todos. Aliás, fala muito, a ponto de prender você, não deixando espaço para outras pessoas se aproximarem. Monopoliza.

Para mim, ela mesma tem preconceito. Ela não gosta de ser negra. Ela se acha um peixe fora d'agua, nesse país de branquelos. Pessoas que fazem de tudo para agradar as pessoas que mal conhecem, normalmente estão buscando se mostrar, querem mostrar que são boas, sabem fazer isso ou aquilo, são super prestativas. Até demais!
E querem que os outros a vejam, querem que a elogiem, querem destaque, como filhos pedindo atenção dos pais. Carência. Ela ainda não se ama.
E com isso, cada gesto, cada situação que acontece desagradável, já coloca como sendo preconceito. Nesse caso, pelas próprias palavras de A, ela vive sofrendo preconceito, em todo lugar que vai.




                     **Um guerreiro da luz percebe que certos momentos se repetem.
                    Com frequência se vê diante dos mesmos problemas e situações que já havia enfrentado.
                    Então fica deprimido. Começa a pensar que é incapaz de progredir na vida, já que os  momentos difíceis estão de volta.

                  ¨Já passei por isso¨, ele reclama com seu coração.
                  ¨Realmente, você já passou¨, responde o coração. ¨Mas nunca ultrapassou¨.
                  O guerreiro então compreende que as experiências repetidas tem uma única finalidade: ensinar-lhe o que ainda não aprendeu.
                   Ele passa a procurar uma solução diferente para cada luta repetida - até que encontre a maneira de vencê-la. ** (Manual do Guerreiro da Luz- Paulo Coelho)




O trecho desse livro que li há anos atrás marcou muito. Se pararmos para pensar, realmente, quando conseguimos lidar com o problema, deixa de ser um problema. E aí passamos de fase. É como na escola, se não estudarmos para tal matéria, acabamos repetindo de ano por nota baixa.

Nesse caso, acho que ela tem que aprender a lidar com isso. Não é com palavras grosseiras que fará a B pedir desculpas,(se caso esse foi o fato),e sim com ações deverá mostrar que está enganada.
Por isso, o Pré-Conceito que a A faz de cada ação das pessoas à sua volta é que gerará o conceito.
Mesmo não conhecendo profundamente A, o pouco que tive contato me pareceu tudo isso...
E foi esse meu ponto de vista que passei para minha amiga. Ela acabou concordando, pois conhece A há mais tempo que eu.
Aconselhei-a que desse um tempo, deixar que acalmasse um pouco essa emoção negativa, que um dia isso tudo se esclarecerá. Experiência própria!

Todos nós temos conceitos pré-fabricados. Programinhas instalados em nossa mente desde a infância. Inclusive sobre nós mesmos! E é onde começam os preconceitos.
Isso pode ser reprogramado, afinal, somos feitos para ser feliz!


*esse post está na minha coluna do Portal Nippon*

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Cada cabeça uma sentença

Ultimas noticias sobre a usina.

@silviakikuchi
  *Em entrevista coletiva em Viena, secretário da AIEA, Denis Flory, explicou que apesar do Japão ter elevado nível do acidente nuclear para 7, o mecanismo do acidente de Fukushima e Chernobyl é diferente. Em um foi o próprio reator q explodiu. No outro não houve danos no núcleo. Flory disse tbm que os dados fornecidos pelo Japão são confiáveis e que o vazamento de radiação em Fukushima não chega a 10% de Chernobyl.*

Como fiquei feliz em ver isso no Twitter hoje!
Silvia Kikuchi trabalha na IPC , onde é repórter. Sigo-a há um bom tempo, e ela sempre faz um esforço danado para trazer notícias sobre oque está acontecendo desde o dia do terremoto. Noticias que ela lê nos jornais japoneses.

Oque ela mandou hoje veio confirmar que eu não errei em não me desesperar diante do que está acontecendo no Japão.
Ah, sim, moro longe da área de risco, todos sabem. Mas acha que isso não afeta de forma indireta a vida da gente?
Daqui para a frente é a questão.
Muitos ainda estão de folga em casa pois as fábricas não tem como fazer seus produtos por dependerem de fábricas que foram destruidas ou afetadas em Sendai. A Toyota é uma delas.
Direta ou indiretamente, isso vai trazer consequencias aqui para a região onde moro.
Isso é óbvio.

Muitos daqui dessa região foram embora... Medo da radiação... Culpam falta de informações...
Nessas horas dou graças a Deus por ter aprendido o nihongo!
Não sei muito, mas oque sei dá para entender oque falam nos canais de tv japones. Oque não entendo, pergunto para alguém ou para meus filhos pois às vezes usam palavras dificeis.

Morando há tanto tempo no Japão, aprendi que a responsabilidade de dar informações corretas é muito grande! Houve um caso de um jornal que teve que pedir desculpas em público por reportar incorretamente um caso há uns anos atrás.
Muitos criticam os médicos do Japão. Dizem que não prestam, dão remédio que não fazem efeito, não fazem nada...Aprendi que os médicos dão remédio para 3 a 5 dias, e na verdade, temos que voltar lá para pegar mais caso ainda não sare ou trocar caso não faça o efeito desejado. Porém, diferente do Brasil, no caso de erro médico, o hospital ou clínica pode até fechar, além do responsável ter que ir pedir desculpas em público e seu nome estar na lama...Porisso o cuidado ao fazer diagnósticos.
Muitos falam que japonês é mal-educado... Mas meus vizinhos são super simpáticos! Minhas crianças brincam com os filhos deles, converso sobre várias coisas, e vou aprendendo o modo japonês da politica de vizinhança. Na verdade, sinto até que eles ficam felizes quando dou bom dia.

E a noticia que a @silviakikuchi tuitou hoje vem em cima do que eu acreditei. Muitos falam do nível da radiação, igual a de Chernobil. Mas prestem atenção nos dois casos: um, pegou um povo totalmente desprevenido, continuou de forma a contaminar sem controle, enquanto o outro está sendo totalmente monitorando, além da área de risco já estar evacuado.
Hoje, o mundo se move para o ambientalismo. Ecológicamente correto. Preocupado com o planeta e o buraco na camada de ozônio. Você acha que as entidades mundiais não estão de olho?


Pense bem na responsabilidade disso tudo perante o país e o mundo! Será que o Japão teria coragem para mentir do jeito que os japoneses são respeitosos até com o próprio nome? Acho que não!

Aqui, um vídeo que a Silvia colocou no Twitter para quem perdeu na tv.




Cada cabeça, uma sentença. Velho e bom ditado!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Comece pelo começo

Comece pelo começo. Comece começando!
Muitas vezes temos pressa do resultado e acabamos atropelando etapas importantes do início, e depois reclamamos do resultado.

Começar um curso para turmas de avançados achando que não precisamos da turma de novatos porque já sabemos muitas coisas acaba deixando para trás alguns detalhes importantes que trariam bons resultados no final.

Não adianta.
Temos pressa!
Nem tanto pelo diploma, mas chegar no resultado tão almejado.

Casar sem namorar? Até mesmo o namoro é um preparo para a vida a dois. Isso acontecia muito antigamente, na época imperial. Mas não funciona mais. Pensamentos diferentes, mulheres independentes, homens caseiros, estilos diferentes que vão viver sob o mesmo teto.

Começar pelo começo. Dar um passo de cada vez. Mas precisa ter o primeiro passo.
Não demore para começar, mas dê um passo de cada vez!

Os sonhos se concretizarão a medida que sua habilidade evoluir. E isso vem com a experiencia.

Muitas vezes nos empolgamos tanto que os detalhes vão ficando para trás. E nos perdemos no meio do caminnho, sem rumo.

Por mais que achamos que sabemos sobre o assunto, melhor começar pelo começo, sem pular etapas. No final, perceberá que há detalhes que você não sabia, e muitas coisas estão co-ligadas.


Até o próximo post!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Onde está?

Dizem que saudosista é aquele que vive do passado, relembrando e contando tudo que aconteceu em sua juventude.
Posso dizer que vivi num tempo em que as coisas ¨aconteceram¨, e que certas lembranças já estão fracas.
Diretas já, Michel Jackson, Heróis da Resistencia,caída do Muro de Berlin, Rock Nacional, Chernobil, e por aí vai.
Mas oque me vem às vezes é a adolescência. De vez em quando me lembro de ver tanta coisa ruim e querer fazer algo para mudar o mundo. Miséria, violência, injustiças...
E tem aquele lado, da paixão, do primeiro namorado, das baladas sem fim, amizades eternas.

Então me pergunto: onde foi parar tudo isso? Cade aquela garra para sair à luta em prol do que acreditava?Dos sonhos, das aventuras, do interesse em ver o mundo melhor?

Pois é...estão lá no fundo do baú!

Os anos vão passando, e quando vemos, muita coisa ficou para trás.
Só que...as coisas acontecem! E quando temos à nossa frente fatos e situações diversas, alguma coisa sai desse fundo do baú e nos tras de volta o sentimento que um dia nos fez grandes, heróis, fortes!

No caso do que houve com o Japão, senti que algo deveria ser feito. Nada pude fazer diretamente, confesso.
Mas oque vi foi a força maior da união. E quando estamos mesmo indiretamente ligados, algo sai de dentro de nós como se fossemos ainda adolescentes em plena atividade.

Então, vamos aproveitar o tempo para amar, viver, sentir, interagir!
Voltar a ser adolescente é impossível...Mas viver aquele sentimento, ah... isso com certeza podemos trazer de volta. Ter os brilhos nos olhos novamente.

Quem dera as coisas fossem diferentes, e que pudesse ser livre e voar por onde achasse melhor. Mas como não é possível,  podemos adaptar para a situação atual e viver bem!

Não deixe o adolescente que vive dentro de você morrer.
Eu estou resgatando. Houve dias em que sonhei, mesmo sabendo que não seria possível. E pude ver que ainda estou viva!

Correr atrás do que acredita começa pelo sonho de viver.


Bons sonhos!