terça-feira, 19 de julho de 2011

De onde vem, pra onde vai.







Agumas coisas andaram acontecendo em minha vida nesses ultimos anos que deram impulso a sonhos e propósitos esquecidos.

Uma longa história onde começa com o modo que fui criada e experiências de vida que me fizeram erguer barreiras e justificativas para tudo dessa vida. Tudo. Principalmente o EU existir.
Os sonhos de adolescente ficaram para trás por causa da trajetória da vida. Da minha vida.
Tudo se justificava em destino.
Hoje sei que muita coisa aconteceu enquanto eu ficava atrás da janela só olhando a vida passar. E enquanto olhava para um lado, do outro muitos acontecimentos passaram despercebidos.
Hoje tenho uma relação com o Universo e aprendi que sou mais um campo de energia que pode mover montanhas se eu quiser.
Hoje sei que mesmo do jeito que eu sou posso cativar o Universo sendo bom com ele, e ele vai me amar do jeito que sou. Afinal, quando amamos, queremos o melhor para a outra parte. Quando amamos, sentimos prazer em dar, em doar, em querer que seja feliz.
Em tudo isso precisa haver prazer, precisa ser prazeiroso oferecer.
Me vejo arrogante, mas no sentido de desafiar e agir. Ao invés de ficar no back stage, por que não ir para o palco?
Essa é a minha auto-confiança, o EU dizendo ao Universo que sou capaz. Dizendo a mim mesma que EU existo e faço a diferença.
Desafios.
Ter a ousadia de agir, de falar, de expressar.

Essas últimas três semanas foram muito agitadas. Não foi fácil para mim. Mas foi um grande teste de resistência onde quase me abati. Senti minhas energias sendo sugadas a ponto de me enfraquecer na saúde física e psicológica.
Mas, o Universo, sábio como sempre ( e porque acho que ele me ama), nesse meio tempo foi me dando coisas boas! Cada retorno que eu tinha, sabia que era Ele me mandando mensagens para não desistir, para não me abater. E toda vez que isso acontecia, eu agradecia!
Essas coisas boas foram-me dadas pelas amizades que conquistei.
Vieram com os amigos, reais e virtuais, cada vez que me procuraram e me propuseram algo.
Vieram em forma de convites que me surpreenderam.
Vieram com o carinho de amigos e fortalecimento de vários laços.
No fundo sei que sou eu vencendo paradigmas e pre-conceitos de uma vida.
Sou eu aceitando que também posso ser e sou.
Ainda falta muito a caminhar. Nao sou perfeita. Ainda terei que enfrentar muito, principalmente as fases de reflexão, onde fico mais frágil.


Estou parando de me comparar com pessoas que nunca vou ser. Pelo contrário, estou tentando absorver oque essas pessoas tem de bom exemplo e aplicar em minha vida, e não SER essa pessoa. Este é o meu lugar. Essa sou eu.
Amar sempre. Amar é bom. Amar nos deixa mais lindas. Amar nos faz ser útil. Amar a minha vida.
Sou grata, de coração, ao círculo de pessoas que fazem parte da minha vida!

Muito bom ter vocês comigo! Obrigada por me aceitarem do jeito que eu sou.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Um milésimo de segundo

Um milésimo de segundo apenas de uma sensação agradável, de um tempo distante, de um EU que se perdeu.
Um milésimo de segundo onde me transportei para uma época distante.
Um milésimo de segundo...

Nos 20 minutos seguinte busquei o motivo e uma explicação.
Seria a música? Não, a música não era daquele tempo...
O ventilador soprava um vento e da janela percebia-se o por-do-sol entre as cortinas enquanto recolhia a louça...
Uma sensação boa...
Um sentimento esquecido...
Um retorno ao início...

Num simples milésimo de segundo...

Quem dera durasse um pouco mais.
Contrário do dejávou, não foi o reconhecimento do que acontecia na hora, mas um sentimento revivido.
Quem sabe seja um aviso para que me solte e volte a sonhar como na infância, pois ser gente grande é complicado demais.
Será?