terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Ultimamente tenho feito o máximo para estudar e entender o processo da vida.
Parece fácil: você nasce, cresce, vive e morre... É isso? Claro que não!!!
Hoje fiz uma sopa de feijão. Não lembro de ter feito alguma vez, mas se fiz, não ficou tão bom como o de hoje.
Essa tal sopa de feijão comi a primeira vez na merenda da escola primária. Nossa, como era gostoso!!!
Naquele tempo, minha familia não tinha o costume de sair muito. Então, não era costume sair para comer fora. Ou seja, não tinha o conhecimento de muitos pratos diferentes, principalmente por ser familia de nikkeis.
Essa sopa que fiz hoje, na verdade, não ficou igual ao que me marcou naquela época.
Queria muito resgatar aquele sabor, mas por mais que tentasse, não consegui.
Bom, não será nunca igual àquela sopa!
Por que? Porque eu mudei! Nesse meio tempo, experimentei muitos outros pratos deliciosos, diferentes. Meu paladar está diferente.
E assim é a Vida. Aprendemos mais e mais, vivemos várias experiencias, experimentamos várias sensações.
E nada será como antes.
Então, por que muitos livros falam em lembrar-se de quando éramos crianças?
Porque a sensação, a felicidade que tivemos quando criança é a melhor do mundo!
Quem não se emociona com um sorriso de um bebê?
É claro que não lembramos dessa fase,mas a infancia em si, tem um sabor diferente!
E é isso que tem que ser resgatado.
A infancia cheia de novidades, a adolescencia cheia de sonhos!
Crescemos, e agora, adultos, vivemos cheios de tarefas que não nos dão o tempo necessário para reviver qualquer coisa, simplesmente viver numa certa nostalgia.
Só que dessa forma, vivemos preso ao passado, ao invés de tirarmos proveito daquelas sensações de felicidade, alegria, desejo. Acabamos só lamentando oque se foi com tanto saudosismo, que esquecemos de fazer disso uma força a mais para lutar por aquilo que sempre sonhamos!
Esse saudosismo, nostalgia, tem que ser a sua força para chegar ao mesmo extase de felicidade de quando ganhamos a primeira bicicleta.
E isso eu tenho me esforçado muito! Para resgatar e me fazer mais forte para seguir e conseguir meu objetivo!
A sopa de feijão já está marcado em minha vida, pois foi uma descoberta. E quando fizer novamente, com certeza terei como base essa experiencia.
Como todas as experiencias que tive, guardar as boas, pois as ruins é melhor nem lembrar.
E, ao invés de nostalgia, viva o agora como se fosse o ultimo dia!
Seja linda, ativa, poderosa! Seja oque você sempre desejou! Cuide-se todos os dias, agradeça oque ja conquistou, e veja mais um dia como uma glória, onde tudo correra melhor que ontem!
Não adianta, não sou do tipo que bloga todos os dias. Quando abri esse blog, foi para colocar meus pensamentos.Mesmo que queira postar todos os dias,não é todo dia que agente tem inspiração, não é? Então, não importa quanto tempo deixo sem postar, mas sim oque postar.
Pronto!Meu compromisso está em postar o meu pensamento.rsrsrs.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Ser ou não ser? A escolha é sua!

Houve um tempo em que eu tinha uma teoria e hoje vejo que é verdade.
As vezes me sentia deprimida por não conseguir ter oque achava bonito, gostoso, legal, etc. No final, acabava achando que estava no local errado, na hora errada, no tempo errado.
E achava que o melhor seria morar num interior do fim do mundo, onde não houvesse certas modernidades e nem acesso a infomações que temos hoje, vivendo uma vida simples e rotineira.
Ou seja, se agente não ve, não conhece, não fica querendo ter!
Viver num pequeno sitio, no interior dos sertões, como na época dos bravos bandeirantes, sem ligação com a civilização, criando sua vaquinha para o leite, as galinhas para os ovos e carne, plantando e cuidando de suas terras para o seu sustento. Ja pensou? Todos os dias iguais, sem sabado e domingo, levantando cedo, acendendo o fogão de lenha, sem televisão, sem noticias ruins, sem barulho de modernidade, só o som da natureza, dos animais ja se mexendo desde cedo em busca da ração, da lenha queimando no fogão, os passos da familia que acorda, o cheiro do café recem coado…
Pois é, viver uma vida simples na verdade é um estilo de vida, onde, a princépio a paz interior reina. Onde não se distrai com supérfluos que aparecem na tv, jornal, revistas.
Onde você pode conversar com seus botões, pois não haverá muita gente a sua volta, todos tem sua própria tarefa dentro da rotina diária.
Viver uma vida simples. Simples sim, ignorante não!
Aquilo que não conhecemos, não sabemos de sua existencia. Consequentemente, não desejaremos aquilo que não conhecemos!
Óbvio! Muito óbvio!
É como o vinho. Imaginamos que seja como um suco de uva, pela sua cor e pelo do que foi feito.
Mas ao contato com o nosso paladar, assustamos pela sua acidez e a falta do adocicado imaginado. E com tempo, ao sentir somente o aroma, ja se é capaz de distinguir ate mesmo a safra!
A fisica quantica tem explicado isso: tudo é possibilidade! Voce não pode imaginar oque não conhece! Quanto mais você sabe, mais vai ter opções, mais vai ter idéia do que pode ser possével.
E isso esta me fascinando no momento. Tudo sempre esta lá em todos os lugares! Sempre existe todas as possibilidades. Nós é que estamos acostumados a ter sempre as mesmas respostas para as mesmas perguntas.
Aquela vidinha do caipira na roça, com seu chapéu de palha, enxada nas costas, botina, camisa xadrez remendada, na verdade é a opção dele! Ele não almeja outra vida, para ele estã bom assim, pois desconhece outra vida, não sabe que existe geladeira, televisão, que já não é moda o xadrez, que o dólar esta caindo aqui e subindo lá, que existe cremes para as mãos calejadas e ressecadas, que tal cantor é sucesso no momento, que o mais novo carro é de tal marca. Às vezes ouve uma palavra diferente aqui ou ali, e sem entender direito, continua sua vidinha.
Mas as possibilidades estão a nossa volta!
Adoro comida italiana. Sempre que vejo revista com algum tipo de pasta, nossa, já imagino o sabor, o aroma, o prato bem decorado num restaurante italiano chique somente pela foto!
Tudo isso por saber que existe essas possibilidades. Por estar vendo, por já ter tido contato, por ter vivido, por ter lido, por ter ouvido. Agora eu pergunto: qual o melhor? Viver num sitiozinho do interior ou aprender sempre, mais e mais, e almejar um sucesso e bem estar interior?
Mas para isso, sei que ainda tenho que aprender primeiramente sobre mim. Me amar e querer o melhor para viver bem, e consequentemente fazer as pessoas a minha volta se sentirem bem e felizes também!