domingo, 20 de março de 2011

Kokoro no Kea 2 心のケア2

Em todas as vias de comunicação vemos campanhas para ajudar as vitimas de Sendai.
Na rádio que escuto no carro, ouvi que empresas grandes estão enviando para doações os produtos que fabricam.
Até uma grande e famosa clínica estética, Takano Beauty, ofereceu plástica no rosto para quem teve ferimentos na face!
Então! Se não tenho como dar tal coisa, dou oque posso!
Essa é a melhor de todas as doações. Dar oque você pode!
Parece estranho oferecer plástica estética numa hora dessas não acham?
Pois eu não!
Aumenta a auto-estima! Pense em se olhar no espelho, e ver todos os dias as marcas de um dia que gostaria de esquecer?
Auto-estima e vaidade são diferentes. Precisamos da auto-estima para seguir em frente.
Mas auto-estima também pode ser tratada de outra forma: carinho!
Dar atenção à eles, simplesmente ouvindo, já é uma grande coisa.
Tocar as mãos, arrumar os cabelos, abraçar, ajudar na escolha de algo, andar de mãos dadas...são pequenas coisas que nós, brasileiros, sabemos fazer, e muito bem!

Essa semana meu filho estava doente, pegou influenza. Deixou-o um pouco frágil até mesmo emocionalmente, acrescentando a entrada na adolescência.
Como ele ficava manhoso, vinha a mim sempre com ares de coitadinho. Uns dias atrás falei pra ele: Vamos para Sendai? Ele olhou para mim e perguntou assustado: Por quê???
Respondi pra ele: Você fica aí choramingando com dó de si mesmo. Então, vamos lá, ajudar em alguma coisa, assim você não pensa em si apenas. Ajudar é tão gostoso! Ser voluntário! Fazer alguém feliz!
Ele olhou para mim e não disse nem sim nem não. (sabe que lá precisam de ajuda)
Tenho ensinado a ele a mudar essa emoção negativa que tem dentro de si. É difícil, pois sempre arruma argumento. Fase. Mas sei que tem um bom coração, pois já vi fazendo coisas boas.
E é como uma semente que estou plantando, um dia germinará.

Enquanto ficarmos com dó de nós mesmos, ficaremos a choramingar pelos cantos, criando pânico.
A partir do momento que nos preocupamos com alguém, esquecemos de chorar, preocupados em fazer alguém feliz!

No momento é inviável alguém ir até Sendai (eu seria mais uma boca para alimentar lá), falei isso para o meu filho para ver a reação dele.
Mas já havia pensado nisso. Gostaria muito de ir lá como voluntária, ajudar a cuidar dos velhinhos que perderam tudo oque tinham. Principalmente ouvi-los, acalmar seus corações.

Com as doações que moveram muitas comunidades, associações e países, não há de faltar nada, é só eles pedirem!
Mas cuidar do ferimentos da alma...mais difícil !




Energias positivas, fé, otimismo!


                                                    
Vamos então fazer oque está ao nosso alcance no momento!
Aquecer os corações feridos e aumentar a auto-estima de quem precisa, sem querer nada em troca!

Vamos nessa?

2 comentários:

  1. Eli,
    essa foi uma das minhas vontades!
    Ir para Sendai, nem que seja para ajudar a retirar os entulhos com as próprias mãos...
    Mas acho que só de ficarmos no Japão nesse momento já estaremos ajudando também!
    Imagine se toda a mão de obra estrangeira deixasse o país agora, que grande problema eles teriam...
    Faremos sim oq tiver ao nosso alcance!
    Gambarimashou!
    Bjao!
    ^^

    ResponderExcluir
  2. Olá Eli,
    Que bom que gostou do nosso blog. Gostei bastante dos seus textos tb! Graças ao Alexandre cheguei até aqui.

    Realmente qualquer ajuda é válida e muitas vezes as pessoas acabam se prendendo ao fato de que a ajuda tem que ser apenas material. Não é. O carinho como você bem disse, uma palavra de consolo, a atenção que damos ao conversar ou mesmo um apoio moral são válidos.

    O exemplo do seu filho é interessante pois muitas vezes ficamos centrados em nossos problemas e remoendo coisas pequenas que não vemos que existem pessoas com problemas muito maiores.

    Abs,
    Carlos

    ResponderExcluir

Fico feliz em compartilhar meus pensamentos com vocês.
Obrigada por deixar seu comentário!