quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Bullying 2

Continuando um pouco o assunto anterior sobre a campanha contra o Bullying, gostaria muito de frisar também o outro lado da moeda: o agressor.
De que adianta olharmos somente um dos lados, sendo que o outro lado também pode ser evitado?
A mesma coisa acontece com campanhas contra a fome, onde doa-se comida, mas não se dá condições para o cidadão ter um emprego decente que possa viver bem com seu salário.

O importante é saber oque acontece com seu filho, amigo, parceiro.
Algumas crianças são agressores, mas também vítimas, pois em muitos casos, fazem oque fazem por certa carencia afetiva. Pais ausentes, mãe sem tempo para conversar, atenção demasiada somente para um dos filhos, pai machista, mãe liberal, família desregrada etc, podem desencadear na criança um sentimento de querer provar aos pais que também existe, um modo de chamar a atenção mostrando que tem o poder.

Pois é, ter filhos é uma responsabilidade e tanto! Não é fácil.
Formar seu caráter não quer dizer somente falar e falar. Exemplos são oque mais pesam na formação. Demonstre o carinho, de atenção, converse, ouça oque ele tem para contar.

Mesmo se seu filho não sofre bullying, observe se ele não está praticando o bullying.
Essa é a melhor forma de evitar o mal pela raiz.

2 comentários:

  1. Eli, parabéns pela postagem!
    Você tem razão, é sempre bom olhar o mesmo problema, só que de um ângulo diferente!
    Bom restinho de semana!
    Abração!
    ^^

    ResponderExcluir
  2. Legal vc ter lembrado esse ponto tbm!
    O agressor tbm pode estar passando por problemas emocionais no seu meio social.
    Lembro da época de escola,amigos desafiando outros para fazer coisas que muita vezes sabe que é errado,mas que se não fizesse seria taxado como covarde.
    Um beijão Mo,seu Blog é sempre SHOW,um dia eu também chego lá.

    ResponderExcluir

Fico feliz em compartilhar meus pensamentos com vocês.
Obrigada por deixar seu comentário!